Biologia

Tópico: Biologia

Biologia

Data: 29-09-2017 | De: Shakira

Na imagem tem camarões comendo restos de comida da boca da moreia. Que tipo de relação ecológica é essa ? Que benefício ela tras ao peixe e aps camarões ?

Seres Unicelulares e Pluricelulares

Data: 21-11-2016 | De: Tiago

Porque é que um animal como o elefante não pode ser constituído por uma única célula ? E porque é que não existem células do tamanho de um elefante?

Biologia/Evolução

Data: 22-10-2015 | De: Vicente

Porque é que os animais morrem? Porque é que não podemos viver para sempre?

(6 anos)

Re:Biologia/Evolução

Data: 22-10-2015 | De: Pierre de Villemereuil

Imagina um mundo onde os animais pudessem aceder a todos os recursos que necessitassem e nunca ficassem doentes, onde os predadores não existissem e onde nem sequer ocorressem acidentes fatais. Se a selecção natural favorece os indivíduos que mais se reproduzem a longo prazo, a vida eterna seria uma estratégia evolutiva favorecida neste cenário: animais que viveriam para sempre! No entanto, no mundo real os recursos são limitados e muitos indivíduos morrem de doenças, de acidentes ou são predados.

A vida eterna tem um custo: o corpo necessita de ser mantido e reparado quando danificado, o que requer recursos (especialmente energia e tempo). A reprodução também requer recursos. Os indivíduos que investissem todos os seus (limitados) recursos na manutenção do corpo nunca se reproduziriam e assim nunca teriam filhos ou filhas com a capacidade de viverem também para sempre. Assim, a capacidade de viver para sempre nunca se tornaria frequente nas populações porque os indivíduos que tivessem essa capacidade não se reproduziriam. Assim a possibilidade de viver para sempre não seria – como dizem os biólogos evolutivos- selecionada positivamente.

Existe um equilíbrio entre a manutenção do corpo de um indivíduo e a reprodução. Uma característica que aumente a capacidade de manter o corpo por mais tempo irá provavelmente reduzir a capacidade de o indivíduo se reproduzir, uma vez que os recursos são limitados. Por causa dos factores externos que mencionei acima que causam a morte dos indivíduos, a manutenção do corpo só é importante por um período limitado. Por exemplo, imagina que por causa desses factores externos (doenças, predação, acidentes), a esperança média de vida de um rato é de um ano. Nesse caso, qualquer variante genético que aumente a esperança média de vida (num ambiente sem doenças, predação ou acidentes como por exemplo quando os ratos são mantidos em cativeiro) para dez anos ou mais não será selecionada favoravelmente (porque é provável que esse indivíduo morra de causas externas antes de atingir os 10 anos). Ainda por cima, é provável que a variante genética mencionada diminua o número de descendentes que esse indivíduo é capaz de gerar (porque uma parte dos recursos usados na reprodução serão, no caso deste indivíduo, usados na manutenção do seu corpo). Assim, essa variação genética será provavelmente eliminada da população, ou seja, será selecionada negativamente. Pelo contrário, as variantes genéticas que aumentem o número de descendentes deixados por um indivíduo ao longo do tempo serão selecionadas positivamente, mesmo que reduzam um pouco a esperança média de vida dos indivíduos. Como resultado deste balanço natural entre a manutenção e a reprodução os indivíduos tendem a ter uma esperança média de vida próxima da idade a que seria provável morrerem por efeito de factores externos. Isto não quer dizer que seja impossível viver eternamente, simplesmente não é uma característica favorecida pela selecção natural. Nota que isto se aplica não apenas aos animais mas a todos os seres vivos.

Estudante de doutoramento do Laboratório de Ecologia Alpina, Universidade Joseph Fourier (Grenoble, França).

Resposta dada no âmbito de uma colaboração do CcT com o projeto ESEB 2015.

Re:Biologia/Evolução

Data: 13-02-2017 | De: Renan

Porque tu é um trouxa

Re:Biologia/Evolução

Data: 18-08-2017 | De: Odila

Porque viemos do pecado de Adão e Eva, e o pecado gerou a morte. Vamos sim viver para sempre no Paraíso quando Deus vier para fazer a ressurreição e dar vida eterna.João 11:25

Perguntas de biologia

Data: 27-08-2013 | De: Marlene Baeta Sacramento

Gostaria de obter respostas de biologia.

Re:perguntas de biologia

Data: 30-08-2013 | De: João Calafate

Cara Marlene Sacramento,

a equipe do Ciência com Todos terá todo o gosto em lhe responder às dúvidas que tiver no âmbito da Biologia, mas para isso terá de as colocar.

Cumprimentos,
o editor.

Re:Re:perguntas de biologia

Data: 08-10-2014 | De: luana Alves

sobre os reino dos seres vivos, este está dividido em 5 grandes reinos.Entretando,em 2010 surgiu uma grande discussão que ainda perdura no mundo da biologia,sobre algas.Do que se trata essa discussão?

Re:Perguntas de biologia

Data: 25-07-2017 | De: FERNANDA

Um mapa e uma bússola para a Educação

Biologia/Zoologia

Data: 07-07-2013 | De: António Martins

Data: 08-12-2011

Preciso de saber se o caranguejo, a estrela-do-mar e o ouriço-do-mar cuidam dos filhos e hibernam?

Re:Biologia/Zoologia

Data: 07-07-2013 | De: Diana Barbosa

Data: 08-12-2011

Os ouriços e as estrelas do mar pertencem ambos ao grupo dos Equinodermes. Os equinodermes reproduzem-se libertando os seus gâmetas para a água, onde ocorre a fertilização. Após a formação do ovo, inicia-se a divisão celular até que se forma uma pequena larva que vai ficar à deriva durante algum tempo, até ocorrer a metamorfose e se transformar num minúsculo ouriço ou estrela. Nessa altura, a larva "assenta" no fundo e começa o seu crescimento até à forma adulta. Não há, portanto, o que se chama de cuidado parental.

Os caranguejos, são de um grupo completamente diferente: os artrópodes crustáceos e os seus comportamentos são mais variáveis. Sem mais detalhe na pergunta não posso dar uma resposta adequada.

Tanto quanto sei, nem uns nem outros hibernam, mas é possível que isto dependa da zona de distribuição da espécie.

Re:Biologia/Zoologia

Data: 07-07-2013 | De: Adelino Canario

Data: 18-12-2011

Começando pelos dois últimos a resposta é não.
Os gâmetas são libertados para a água, a fecundação é externa e o desenvolvimento faz-se na coluna de água. No caso dos caranguejos, o desenvolvimento dos ovos faz-se protegido pelos pleiópodes (patas natatórias) e quando se dá a eclosão normalmente as larvas são libertadas para a coluna de água e derivam com as corentes e nelas completam o seu desenvolveimento que pode levar vários meses. Há alguns casos raros em que o desenvolvimento é directo, isto é sem fase larvar, e neste caso poder-se-ia (quase) falar em cuidar dos filhos. Nenhum destes animais hiberna, embora o metabolismo e a actividade esteja relacionado com a temperatura. Nalguns casos são mais activos a temperaturas mais baixas, noutros a temperaturas mais altas - depende do óptimo de cada espécie.

Biologia/Botânica

Data: 06-07-2013 | De: Tiago

Data: 02-12-2011

Como apareceram as plantas?
Onde descobriram as plantas?

Re:Biologia/Botânica

Data: 06-07-2013 | De: Ana Séneca

Data: 05-12-2011

Depende do que se considera serem plantas. Actualmente o nome "plantas" agrupa organismos verdes capazes de produzirem o seu próprio "alimento" a partir da energia do sol através de um mecanismo comum para além de outras características. Sendo assim plantas são todas as que habitam o meio terrestre e mais alguns organismos aquáticos simples a que chamamos algas verdes.
Os primeiros organismos a aparecer na Terra, há cerca de 3.8 biliões de anos, foram bactérias, organismos simples, aquáticos, formados só por uma célula e que não utilizavam a energia do sol para produzir o seu alimento. A partir destas bactérias iniciais foram evoluindo diversos tipos de outros organismos entre os quais aqueles que utilizavam o sol como fonte de energia e que, mais tarde dariam origem ao que hoje chamos plantas. Os restantes dariam origem ao que hoje agrupamos em animais e fungos. As primeiras plantas eram assim aquáticas e só muito mais tarde é que colonizram o meio terrestre, há cerca de 475 milhões de anos. A partir daí e até hoje foram evoluindo e tomando a forma e diversidade que hoje conhecemos em todo o Mundo.

Biologia/Zoologia

Data: 06-07-2013 | De: Carina

Data: 29-11-2011

Como é que os pássaros conseguem utilizar as penas para voar?

Dados pessoais: 9 anos, 4º ano, E.B. 1 da Coutada, Coutada (Covilhã).

Re:Biologia/Zoologia

Data: 06-07-2013 | De: Maria João Lança

Data: 06-12-2011

Olá Carina,
são as penas que em primeiro lugar distinguem as aves dos restantes animais, pois existem outros animais que podem voar, fazer ninhos e até colocar ovos mas não são aves. As penas das aves servem para várias funções sendo uma delas o voo. Existem penas chamadas de voo, que actuam como um leme e dão controlo no voo e são encontradas nas asas e na cauda e existem as penas de contorno que fazem com que as aves fiquem mais planas (mais aerodinâmicas) e consigam voar mais facilmente.

Biologia/Mar Vermelho

Data: 15-03-2012 | De: Bento

Data: 2011-11-25

Porque é que o Mar Vermelho se chama assim?
Dados pessoais: 9 anos, 4º ano do 1º ciclo, Coutada.

Re:Biologia/Mar Vermelho

Data: 15-03-2012 | De: Adelino Canário

Data: 2011-11-25

O nome deriva de uma alga unicelular filamentosa (uma espécie de planta microscópica) que aí ocorre e que quando morre passa de cor verde-azulada a um vermelho acastanhado, daí o nome do Mar Vermelho. A alga chama-se Trichodesmium erythraeum. Erythraeum vem de Mar Eritreu o nome dado antigamente ao Mar Arábico que se liga através do Golfo de Adém ao Mar Vermelho.

Re:Biologia/Mar Vermelho

Data: 15-03-2012 | De: Christian Bones

Data: 2011-11-27

Deve-se ainda ao facto dos dinoflagelados, seres pertencentes ao filo Pyrrophyta, serem "classificados" como tendo uma cor vermelho-fogo.
Mais uma curiosidade é o facto de estes seres também serem considerados uma das 7 pragas do Egipto, segundo as Profecias de Moisés :).

Re:Biologia/Mar Vermelho

Data: 15-11-2012 | De: gsajxhdkn

Porque esse mar é vermelho, nunca pensaste em pesquisar antes de vires perguntar?

Biologia/Bolor nas paredes

Data: 15-03-2012 | De: Marlene Silva

Data: 2011-11-24

Olá! Eu gostaria de obter explicação para o facto de surgir bolor nas paredes e a melhor maneira de o fazer desaparecer. Isto porque limpo e mais tarde volta a surgir. Obrigada!
Dados pessoais: 20 anos, Porto, estudante universitária.

Re:Biologia/Bolor nas paredes

Data: 15-03-2012 | De: Adelino Canário

Data: 2011-11-25

O bolor, ou fungos, adoram a humidade. Quando se reproduzem formam-se pequeníssimos esporos que se dispersam por todos o lado através das correntes de ar e se fixam a superfícies. Se estas estiverem humidas eles germinam.
Lexívia diluida é uma possível solução, assim como tintas contendo antifungicos, mas a melhor solução é arejamento e isolamento para evitar a humidade.

Vida

Data: 01-02-2012 | De: João Calafate

Data: 2011-08-31
Que requisitos são necessários para se ser considerado um ser vivo?
Um vírus é um ser vivo?

Re:Vida

Data: 01-02-2012 | De: Adelino Canário

Data: 2011-11-25
É uma questão que muitas vezes é considerada mais no campo da filosofia da ciência e que aparece nos livros mais como fonte de reflexão. O que se sabe actualmente mostra claramente que os virus são seres vivos parasitas de células. Quando nas células utilizam energia, como qualquer ser vivo para se reproduzir. Como são parasitas a tendência é para a simplificação da sua estrutura mas está demonstrado que já tiveram na sua composição o que é necessário para serem autosuficientes. Metabolismo e reprodução mesmo que à custa de outros é estar vivo.

Re:Re:Vida

Data: 01-02-2012 | De: João Calafate

Data: 2011-11-26
Muito obrigado pela sua resposta, Professor Adelino Canário!
Acho esta questão/temática muito importante e interessante e gostaria apenas de mais um esclarecimento adicional, se me permite: faz todo o sentido o que me diz e então neste caso a Teoria Celular (que nos diz, por exemplo, que todos os seres vivos são constituídos por células e que a célula é a unidade básica da vida) não terá de ser repensada e reformulada, à luz dos novos estudos?
Outra questão que considero interessante é: um fruto quando está acoplado à árvore, que o originou, é um ser vivo? E quando amadurece, cai ao chão e "aparece" no nosso prato, continua a ser um ser vivo?
Obrigado e os meus cumprimentos!

Re:Re:Re:Vida

Data: 11-05-2012 | De: Adelino Canario

Caro João
Eu diria que a célula continua a ser a unidade básica da vida, na medida em que (em geral) tem todos os "ingredientes"- capacidade de auto-reprodução, crescimento, metabolismo - que permitem, pelo menos potencialmente, existência autónoma. Mas a nossa vontade (necessidade) de "encaixotar" em unidades bem definidas o que é em boa parte um continuum gera algumas potenciais contradições.
Quanto ao fruto, eu diria que está vivo enquanto, pelo menos, tiver metabolismo ou for capaz de gerar uma nova planta.

Re:Vida

Data: 19-04-2012 | De: Pedro Ferreira

Os vírus são seres acelulares, que dependem de outras células para se reproduzirem. Os vírus são constituídos por uma cápsula proteica e material genético (DNA/ADN ou RNA/ARN). Um vírus necessita de injetar o seu material genético numa célula, denominada célula hospedeira. Se o vírus for constituído por RNA este é designado de retrovírus, pois tem de reverter o seu processo de transcrição, usando uma enzima, transcriptase reversa, para tornar o RNA em DNA, podendo depois ser injetado no núcleo da célula para a produção de novos vírus. Logo, este ser não é vivo, nem morto. O conceito de vírus ainda está pouco definido.

Itens: 1 - 28 de 28

Novo comentário