Fisiologia/Medicina

Tópico: Fisiologia/Medicina

Biomedicina/Oncobiologia

Data: 06-04-2012 | De: Liliana Nova

Data: 2011-11-26

Há um assunto que me preocupa, e acho que a todos nós, para o qual gostaria de saber a resposta ou a resposta que a Ciência pode fornecer neste momento.
Qual a razão de atualmente existirem muitíssimos mais cancros, de quase todos os tipos, do que há 60 anos atrás, por exemplo? Será da poluição, da nossa alimentação, das radiações, da conjugação das três, ...?
Dados pessoais: Póvoa de Varzim, 27 anos, estudante universitária.

Re:Biomedicina/Oncobiologia

Data: 06-04-2012 | De: Rubim Almeida

Data: 2011-11-27

Nunca aprofundei o estudo do assunto até porque está fora dos parâmetros daquilo que é a área da minha investigação (sou botânico), contudo penso que aquilo que acontece é que hoje se distinguem tipos oncológicos que não se distinguiam há 60 anos além de que muitas dessas doenças não seriam diagnosticadas nessa altura.
Eventualmente os factores que refere, poderão fazer subir as taxas de incidência e prevalência dessas doenças, mas não creio que haja mais tipos particulares da doença, apenas melhores diagnósticos.

Re:Re:Biomedicina/Oncobiologia

Data: 06-04-2012 | De: Liliana Nova

Data: 2011-11-27

Caro Professor Rubim Almeida,
muito obrigado pela sua resposta e respondeu a parte da minha dúvida, pois eu não fui explícita na colocação da mesma.
O que, também, queria saber é o porquê de nas sociedades actuais e desenvolvidas existir muitas mais pessoas a padecer de cancro (em proporção), independentemente do tipo deste, do que antigamente? Porque se diz, que no futuro o cancro vai ser a principal causa de morte nos seres humanos? Obrigado!
Dados pessoais: 27 anos, Póvoa de Varzim, estudante universitária.

Re:Biomedicina/Oncobiologia

Data: 06-04-2012 | De: Ana Guerreiro Pereira

Data: 2011-11-27

Ah, desculpe, não li esta parte :) Nas sociedades ocidentais, de facto, lutamos contra muitos maus hábitos que promovem doenças variadas: obesidade é uma deles, a diabetes 2 é outra, as doenças cardiovasculares, idem, e o cancro tb. O cancro tb tem uma origem genética, isto é, as pessoas que o desenvolvem podem ter uma predisposição genética para o ter. Há cancros em que é mesmo uma questão do chamado gene egoista: pode-se ser portador de um gene envolvido no desenvolvimento de cancro. Hoje em dia nascem mais pessoas (somos 7 mil milhões de pessoas), pelo que é lógico pensar que tb existem mais pessoas com essa predisposição genética. Há determinadas coisas, e comportamentos que se sabe, de facto, acrescerem o risco de cancro, mas sempre o fizeram no passado tb. Tabagismo, alcoolismo, má alimentação (apesar de hoje em dia, no geral, se comer melhor - ou melhor, o que eu queria dizer é que há mais conhecimento de como comer melhor; isto não significa q os maus hábitos não prevaleçam), excesso de exposição a raios UV, excesso de exposição a raios-X e radioactividade (note que não há qq indicação cientifica de que os telemóveis, wi-fis, cabos de alta tensão, etc, provoquem cancro.) exposição prolongada a substâncias cancerígenas, contrair vírus q promova cancro (como o cancro do colo do útero)... as causas podem ser muitas e a predisposição genética tem muito a dizer. Havendo mais pessoas, haverá tb maior numero de individuos predispostos. Não é uma questão de o cancro aumentar, propriamente. Nunca ouvi a expressão de que o cancro será a principal causa de morte no futuro, para ser sincera. Imagino mais q sejam as doenças cardiovasculares e diabetes 2, q são mesmo pragas (estas relacionadas com comportamentos com maus hábitos). Num mundo em que o conhecimento na área oncológica aumenta exponencialmente, não concordo que no futuro o cancro seja a principal causa de morte. ;) Mas, note, não sou especialista na área de oncologia.

Na realidade não existem propriamente mais cancros: nós é que sabemos agora discerni-los e identificá-los. Há 60 anos atrás não se possuia este tipo de conhecimento e mtos cancros passavam despercebidos, mascarados, confundidos com outros ou outra doença. Hoje em dia, contudo, conhece-se muito melhor o cancro, as formas como se pode manifestar, etc. Por outro lado, hoje em dia a medicina chega a toda a gente, bem como a comunicação e informação: ficamos a saber mais rapidamente quem tem cancro, qual, e a luta dessa pessoa. Antigamente as pessoas nem sequer sabiam q tinham cancro, nem diziam a ninguém, nem sequer eram tratadas como hoje. Na realidade, hoje em dia o cancro ataca-nos menos, porque a prevenção aumentou, os meios de tratamento tb, a esperança de vida das pessoas afectadas aumentou imenso, a remissão é conseguida em mtos dos tipos de cancro, a qualidade de vida aumentou ...

A alimentação de hoje em dia é melhor que há 60 anos. As radiações sempre nos bombardearam, desde que aparecemos enquanto espécie, há 200 mil anos atrás. Mas o que é certo é que a diminuição da camada de ozono e os maus hábitos de excesso de exposição solar das pessoas, bem como um maior acesso há praia (há 60 anos, por ex, não iam todos para a praia como hoje em dia, nem expunham toda a pele) aumentou a incidência de cancros de pele. Que, contudo, está novamente a diminuir, pq as pessoas estão informadas e protegem-se.

A poluição, por seu turno, pode provocar todo o tipo de disturbios, não só cancro. Na realidade, o cancro é uma doença com origens multi-factoriais, que dependem da conjugação de diversos factores, entre eles a tendência genética para o ter. Tb há cancros que são provocados por vírus, como é o caso do HPV, que provoca o cancro do colo do útero e alguns cancros na boca.

Os tempos mudam, os factores mudam, as origens mudam, é certo. Mas o tipo de cancros que hoje se conhece está relacionado com o facto de se estudar e conhecer melhor a doença nas suas várias vertentes. ;)

Re:Biomedicina/Oncobiologia

Data: 06-04-2012 | De: Diana Barbosa

Data: 2011-12-08

Só para complementar as respostas anteriores...

Como, fruto da medicina moderna, vivemos mais anos, as doenças relacionadas com a degeneração celular (como o cancro, mas não só) estatisticamente aumentam. Ou seja, como vivemos mais anos, a probabilidade de serem diagnosticadas mais doenças é maior. E como os métodos diagnósticos são melhores e chegam a mais gente, também aumentam as deteções.
Como foi já dito, e bem, não é que o cancro antes não existisse, é que não era conhecido nem detetado como agora.

Espero que entre todos, tenhamos ajudado a esclarecer a questão.

Medicina/Psiquiatria

Data: 06-04-2012 | De: Joãozinho

Data: 2011-11-25

Que mecanismos neurológicos estão por detrás da visualização distorcida que as pessoas que sofrem de Anorexia, por exemplo, apresentam? Como é possível que sendo estas pessoas esqueléticas, o espelho "lhes mostre" uma imagem de obesas?
Obrigado!
Dados pessoais: Póvoa de Varzim, E.B. 2,3 Dr. Flávio Gonçalves, estudante do 9º ano.

Re:Medicina/Psiquiatria

Data: 06-04-2012 | De: Marina Fuertes

Data: 2012-03-01

Eis o que posso responder com a minha formação ...

Na verdade, todos nós representamos o mundo de uma determinada na forma de acordo com as nossas experiências de vida. Por exemplo, a noção do que é socialmente aceitável ou não, depende em muito do que vivemos e aprendemos, e quase toda gente tem distorções. Sem sofrer de anorexia muitas pessoas para obterem desejabilidade social pintam o cabelo, fazem dieta, gastam muito dinheiro em roupas, etc....O que acontece com a anorexia é que sendo uma doença e essa distorção "está fora do Controlo" afetanto a vida regular dessas pessoas e até a sua vida. Existe alguma investigação que procura a interligação entre causas biológicas (genéticas, neurológicas) e ambientais (experiências de vida traumatizantes), a resposta ainda não é exata, mas sabemos que a psicoterapia resulta quando praticada por profissionais com a formação adequada.

Biologia/Fisiologia

Data: 06-04-2012 | De: Bento

Data: 2011-12-01

Qual a importância da água para os seres vivos?
Dados pessoais: 9 anos, 4º ano do 1º ciclo, Coutada.

Re:Biologia/Fisiologia

Data: 06-04-2012 | De: Ana Séneca

Data: 2011-12-05

A água é um líquido que, como sabes, dissolve muita coisa: açucar, sal, etc. Devido a estas características ela serve de veículo à grande maioria das substâncias de que o nosso corpo e o de todos os organismos necessitam para viver. Assim ela faz parte dos "líquidos" que mencionaste na tua pergunta anterior e de cerca de 90% (quase tudo) de que é feito o nosso corpo e o de outros organismos, daí a sua importância para a vida.

Re:Biologia/Fisiologia

Data: 06-04-2012 | De: Maria João Lança

Data: 2011-12-06

Olá Bento,
a água faz parte do organismo de todos os seres vivos, sendo muito importante para controlar a temperatura corporal e porque é um meio bom para a actividade das células, para formar o sangue, para formar a urina, etc. A quantidade de água que existe no nosso corpo varia com a idade, sexo, massa muscular e com a percentagem de tecido adiposo (gordura). Só para teres uma ideia, no nosso organismo o cérebro é constituído por 85% de água, os pulmões 80%, os rins 80%, o sangue: 79% e o coração 77%.
Os animais que vivem em zonas muito quentes, tal como os desertos, adaptam-se bem à falta de água conseguindo armazená-la, enquanto os animais que vivem em climas temperados precisam de controlar a quantidade de água no organismo para não perderem muita quer na transpiração quer na formação da urina.

Novo comentário