As Caixas Wardianas

27-06-2012 20:38

File:Wardian cases.jpg

Exemplos de Caixas Wardianas

Crédito: Wikipédia

 

As Caixas Wardianas são o antecedente do terrário moderno, e a inspiração óbvia para o aquário de vidro para todos os tipos de peixes – na realidade, mais ainda, para os peixes lindíssimos dos recifes de coral das praias tropicais, membros de um ecossistema impossível de reproduzir na Europa. O objecto foi inventado pelo dr. Nathaniel Bagshow Ward, em Londres, por volta de 1829 – depois de ter sido inspirado por um acidente absolutamente fortuito.

 

File:Nathaniel Bagshaw Ward 1866.jpg

Dr. Nathaniel Bagshow Ward

Crédito: Wikipédia

 

Este dr. Ward era um médico com uma grande paixão por botânica. O seu próprio herbário, totalmente recolhido, alisado, seco e prensado por ele, chegava a cerca de 25.000 espécies. Os fetos do seu jardim, no entanto, estavam a ser sufocados pelo smog de Londres da revolução industrial, que consistia sobretudo em fumo de carvão e em ácido sulfúrico. Notou logo que, em contraste com os seus fetos grandes que pereciam no jardim, nas caixas plantas estavam a germinar esporos de novos fetos numa resposta de crescimento visível e relevante, numa porção mínima se solo. Deu instruções a um carpinteiro para lhe construir uma caixa de madeira para fetos, bem apertada e bem selada – e descobriu que aqui os fetos cresciam e davam esplêndidos sinais de saúde.

 

Não tardou até que as caixas Wardianas se tornassem decorações obrigatórias nos escritórios da classe alta, tanto na Europa com nos Estados Unidos. Foi graças a elas que se popularizou a moda generalizada do cultivo de fetos exóticos – e, logo a seguir, o cultivo ainda mais complexo de orquídeas tropicais.

 

Mais importante ainda, as caixas Wardianas deram um impulso sem precedentes, uma verdadeira revolução, na mobilidade das plantas de importância comercial. Foi, por exemplo, em caixas Wardianas que Robert Fortune sonegou para a Índia Inglesa vinte mil pés de chá vindos de Shangai, para iniciar as plantações de chá de Assam. Depois da sua germinação em estufa, brotos de árvore de borracha do Brasil foram exportados com sucesso em caixas Wardianas para o Sri Lanka e para os novos territórios ingleses na Malásia para iniciar plantações colossais de árvores de borracha. Há, pois, que dar-lhes o crédito de terem contribuído para o fim dos monopólios geográficos na produção de bens de importância agrícola.

 

O interesse de Ward pelas áreas que o fizeram deixar o seu nome na história é visível no número de sociedades que frequentou. Era um membro activo da Sociedade de Boticários de Londres, da qual se tornou bastonário em 1854. Até ao início do século 2000, era esta Sociedade que administrava o Chelsea Physic Garden, em Londres, o jardim botânico mais antigo do Reino Unido. Além disso, Ward foi um dos membros fundadores tanto da Sociedade Botânica de Edinburgo como da Royal Microscopic Society, bem como membro da Linnean Society e da da Royal Society.

 

Texto de Clara Pinto Correia.

 

Tópico: Comentários

Os fetos Exóticos

Data: 04-03-2013 | De: João Gonçalves Costa

Olá Dra. Clara: parabéns pelo seu trabalho sobre os fetos e o grande amigo dos mesmos. Portugal não é um grande país de Filicíneas, mas ainda cá chegaram alguns. Devemos pensar que os fetos foram das primeiras plantas a expandi-se no planeta, onde os fetos tinham enormes troncos que
os cataclismos destruíram. Restam-nos os F. arbóreos de Sintra, Buçaco e Estufa Fria (Lx.). Em Valongo há fetos exóticos nos fojos fechados à luz solar. Um abraço do João amigo: mail: joaogc1934@gmail.com

Itens: 1 - 1 de 1

Novo comentário