Estalactite de gelo mortífera?

10-03-2013 00:35

Fig 1. Estalactite de gelo

 

    Nas regiões polares, o ar arrefece para temperaturas negativas durante o Inverno, fazendo com que a superfície do mar arrefeça e congele, formando plataformas de gelo. Ao congelar, a água do mar forma uma estrutura cristalina bastante porosa (semelhante a uma esponja) com as moléculas de água, bem diferente dos compactos cubos de gelo que se formam no nosso congelador, a partir de água doce. A água do mar é constituida por moléculas de água (H2O) e diversos sais que se encontram dissolvidos como o cloreto de sódio (o nosso sal de cozinha), o sulfato e cloreto de magnésio ou o sulfato de cálcio. Estes sais não são incorporados na estrutura cristalina, por isso, à medida que esta se vai formando, estes são expelidos ficando retidos em pequenas bolsas de água no estado líquido dentro da estrutura sólida cristalina. Estas bolsas vão-se tornando cada vez mais salinas e, como se encontram a temperaturas muito baixas, são muito densas, tendo assim tendência para afundar ao longo de diversos canais que se formam dentro da estrutura do gelo. Esta salmoura circula assim em direcção à base da plataforma de gelo, acabando eventualmente por atingir a coluna de água, sobre a qual a plataforma flutua. Quando estes canais estão distribuidos de forma uniforme a plataforma de gelo acaba por crescer um pouco mais, aumentando a sua espessura. Se, por outro lado, o contacto com a água do mar é feito num ponto localizado, pode-se formar uma estalactite de gelo. Por ser muito densa, a salmoura vai continuar a fluir para o fundo. Porém, por ser extremamente fria vai rapidamente arrefecer a água do mar com a qual entra em contacto que, por ter um conteúdo de sais inferior, e por isso um ponto de congelamento inferior, vai congelar.  Forma-se assim um tubo de gelo oco a partir da plataforma de gelo, por onde a salmoura vai continuar a circular em direcção ao fundo, favorecendo o crescimento da estalactite e tornando-a mais resistente. O fluxo de água extremamente fria impede o derretimento do tubo de gelo ao entrar em contacto com água do mar comparativamente mais quente. Se a profundidade não for elevada, não existirem correntes fortes e a plataforma de gelo for estável, a coluna de gelo pode atingir o fundo, sem se partir. Ao tocar nele continua a crescer no sentido descendente de acordo com a topografia do fundo, podendo acabar por formar uma piscina gelada. Estrelas do mar, ouriços e outros animais que habitam os fundos marinhos podem ser apanhados por este “dedo de gelo” mortífero, acabando por congelar.

    

    Já se sabia da existência destas estalactites de gelo desde os anos 60, mas só em 2011 é que a formação de uma foi filmada. No site abaixo é possível ver um desses videos captado pela BBC. Contudo, é importante ter em conta que o vídeo foi acelerado. Na realidade a coluna de gelo formou-se em cerca de 6 horas.

 

Pode ver o vídeo explicativo do fenómeno aqui: http://www.bbc.co.uk/nature/15835017

 

Catarina Leote (doutoranda no Royal Netherlands Institute for Sea Research - texto inédito elaborado para publicação no Ciência com Todos).

 

Tópico: Comentários

Estalactite de gelo

Data: 10-03-2013 | De: Graciete Rietsch Fernandes

Todos os dias a aprender!!!
Foi muito interessante ficar a conhecer mais este fenómeno da Natureza.

Estalactite de gelo

Data: 10-03-2013 | De: Utilizador

Não conhecia esse fenômeno. Adorei a matéria!

Itens: 1 - 2 de 2

Novo comentário