Only nature can

17-04-2012 23:33
 
As imagens que seguem não são telas expostas numa galeria. Referem-se a cristais de colesterol.
 
In fact all photomicrographs of Crystals are abstracts by nature, but the pictures in the next galleries do have a decorative quality that reminds one of abstract paintings.
Sometimes the touch of brush or pencil even seems visible.
But you're not looking at art in the usual way. Although some recognize the hand of certain artists, it's all no bigger than a millimeter. A whole museum on your fingernail.
No miniaturist in history ever accomplished that!
Only nature can.
 
 
Não são imagens tratadas digitalmente; as cores e as formas são exactamente as vistas através de um microscópio de polarização.
 
O que são microscópios de polarização? São microscópios que utilizam a luz polarizada para estudar os objectos observados.
 
Em que consiste a polarização a luz ?
Os vídeos em 12 bem como os textos em 34 poderão ajudar a perceber.
 
 
 
 
Uma experiências simples poderá também ajudar a perceber a obtenção das imagens acima apresentadas.
Precisamos apenas de um par de óculos polaróide, de fita cola e uma tira de plástico transparente mais ou menos rígido como o de muitas embalagens.
 

 
Retiram-se as lentes aos óculos.
Corta-se uma tira de plástico e envolve-se com fita cola (algumas voltas sobrepostas).
Com uma das mãos segura-se uma das lentes virada para uma fonte de luz branca (por exemplo o sol) e simultaneamente a tira de plástico. Com a outra mão segura-se a outra lente de modo que a tira de plástico fique entre as duas lentes. Fazendo girar a segunda lente e espreitando do lado desta vamos poder ver imagens coloridas a lembrar uma pintura abstracta.
Vejam a mesma experiência sugerida aqui: http://gam.pavconhecimento.pt/exposicoes/modulos/index.asp?accao=showmodulo&id_exp_modulo=178&id_exposicao=6

Se tem um velho par de óculos de sol, pode utilizar as duas lentes como filtros de polarização cruzados; coloca uma em cima da outra e roda-a até que nenhuma luz as atravesse. Se colocar um pouco de plástico transparente entre as lentes cruzadas, ao dobrar o plástico, poderá ver cores. Se colocar entre elas um pouco de fita adesiva ou de película aderente, obterá luz colorida porque estes materiais são pré-esforçados durante o fabrico
 
Outras experiências podem ser encontradas aqui: http://www.searadaciencia.ufc.br/sugestoes/fisica//oti16.htm
 
E por falar em luz e sombra, deixo este poema:

Desde o Big-Bang corre pelo espaço
sem aparentar o mínimo cansaço.
Não tem concorrente na corrida.
pelo que, de antemão,
é a vencedora da partida.
Durante a já longa viagem,
foi criando vários laços na passagem
ao tornar iridescente o belo diamante
quando nele se reflete e se refrata,
ao cobrir o mar de um manto cor de prata,
ao ruborizar o céu à hora de alva
e ao sol poente,
ao emprestar à lua um manto de luar,
ao tornar multicolor o céu e o mar,
ao brincar com a chuva, como se fora criança,
traçando no céu o arco da aliança,
ao espargir de cor a mãe natureza
que a ama com fervor, e a olha com enleio.
Misteriosa luz, lasciva, bela.
Através dos vidros da janela,
vejo, projetada no passeio,
a indelével sombra dum longínquo amor.
Gouveia R. (não publicado)

 

Regina Gouveia (texto publicado no blog "Do caos ao cosmos", a 10 de Abril de 2012)

Versão original em: http://docaosaocosmos.blogspot.pt/2012/04/only-nature-can.html

 

Tópico: Comentários

Não foram encontrados comentários.

Novo comentário