Vento maldito ou bendito?

18-09-2013 23:23

 

    

 

    Afinal o que é o vento? E será este bom ou mau para nós humanos e outros seres vivos?

 

    O vento é a circulação geral, dinâmica e constante da atmosfera, ou o fluxo de gases em larga escala de sítios de maior para sítios de menor pressão. Dito em linguagem popular: “o vento é o ar em movimento!”

 

    Quando embate na nossa pele cria-nos instantaneamente sensação de frio, pois a temperatura média desta diminui, sendo este fenómeno explicado pela Termodinâmica. Este ramo da Física trata, teoricamente e experimentalmente, de sistemas macroscópicos (grandes, grande escala), grandezas como temperatura, pressão, volume, calor, trabalho, energia e entropia, e suas variações e relações.

           

     Interessante embora aborrecido, este fenómeno dá-se essencialmente devido a dois efeitos:

 

            (i) o arrastamento da “película” de ar quente (aquecida pelo corpo) que está junto ao corpo, perto da pele, assim como entre as fibras dos tecidos da roupa, ar esse que é substituído pelo ar ambiente que geralmente é mais frio (ainda não foi aquecido), o que faz com que haja calor a sair do corpo para esse ar frio (estamos a aquecer o ar).

 

            (ii) o facto de a nossa pele se encontrar humedecida (num processo que, entre outros, serve para controlar a sua temperatura), favorecendo o vento a evaporação de água do corpo (o suor, a água no corpo ao sair do banho), evaporação essa que o arrefece pois as moléculas de água que passam para a fase de vapor são as que têm mais energia, pelo que o líquido que fica passa a ter menos energia cinética microscópica média, ou seja, passa a ficar com temperatura mais baixa. Este efeito é bem visível na roupa a secar, pois esta seca muito melhor em dias ventosos, ou quando saímos do banho e ficamos cheios de frio e com a chamada “pele de galinha”.

 

    Em suma: o arrastamento do ar aquecido junto ao corpo e a evaporação da água que o humedece, ambos favorecidos pelo vento, são os “culpados” pela descida da temperatura corporal.

 

    Contudo, vento não é só sinónimo aborrecimento (pela sensação desconfortante que nos provoca): o nosso corpo, e o dos outros animais e plantas, precisa de libertar calor para podermos viver, e neste aspeto o vento pode ser uma preciosa ajuda.

 

    Além disso, o ar em movimento “dá boleia” a uma grande quantidade de grãos de pólen (polinização anemófila), que mais cedo ou mais tarde irão fecundar uma flor mais ou menos longe, e também a sementes. Transporta nuvens para outras paragens, que necessitam de chuva. Auxilia o voo de certas aves que assim realizam voo planado, como por exemplo a ave marinha gaivota (do género Larus), que despendem deste modo menos energia. Renova o ar que respiramos e torna possível a prática de certos desportos recreativos e radicais. Esculpe, a seu gosto, a natureza!

 

    O vento serve, também, para gerar electricidade, através de sua energia cinética ou energia eólica, que é amiga do ambiente, entre muitas outras benfeitorias.

 

    Pensando bem, e apesar de por vezes ser tão desagradável, o vento tem mais a dar, tanto a nós como a outros seres vivos, do que poderíamos à primeira vista pensar. Afinal o vento é mais bendito do que maldito!

 

 

João Pedro Cesariny Calafate (professor, mestre em ensino experimental das Ciências e coordenador do Ciência com Todos).

 

Texto de divulgação de ciência publicado primeiramente na Imprensa Regional, no âmbito do projeto Ciência na Imprensa Regional - Ciência Viva.

 

Publicação no CIR - CV:  

http://www.imprensaregional.cienciaviva.pt/conteudos/artigos/?accao=showartigo&id_artigocir=464

 

Publicações na imprensa regional: http://bomdia.be/index.php?option=com_content&view=article&id=23283&catid=108&Itemid=120 , http://www.obaluarte.net/pagina/edicao/2/20/noticia/10079 , http://www.reconquista.pt/pagina/edicao/272/44/noticia/28897 , http://www.imprensaregional.com.pt/jornaldemonchique/pagina/edicao/2/59/noticia/2860

 

Tópico: Comentários

prevenção

Data: 14-10-2013 | De: Lino Mendes

Não é possível prever essas catástrofes?

OBRIGHADO

LINO

Vento maldito ou não

Data: 19-09-2013 | De: Graciete Virgínia Rietsch Monteiro Fernandes

Como julgo já ter comentado gostei do artigo. O vento é útil e necessário mas terrível quando se transforma em ciclones ou furacões. Mas isso são fenómenos naturais embora. por vezes, a mãozinha do Homem tenha a sua influência.
E, só por brincadeira, As nortadas de Agosto, na praia, não são nada agradáveis.

Um abraço.

Vento Maldito

Data: 19-09-2013 | De: Marinho Lopes

Bom artigo João. Só uma pequena crítica: acho que o título é enganador, pois acabas por te focar mais nos benefícios. É claro que apesar de todos os malefícios, os benefícios compensam, visto que o vento é mesmo indispensável. Suponho que era esta a ideia que querias passar, além de explicares de que modo o vento se forma e interage connosco. Portanto, o que quero dizer, é que tendo em conta o título e por uma questão de completude, poderias também ter referido furacões e afins. Provavelmente não o fizeste por limitação do tamanho do texto para a imprensa regional, não?
De qualquer forma, este detalhe não tira os méritos ao texto: exposição simples e clara. Parabéns. :)
Abraço.

Re:Vento Maldito

Data: 20-09-2013 | De: João Pedro Calafate

Olá Marinho,

foi exatamente por essa razão que referes :)!

Outras pessoas já me têm dado dicas para acrescentar, como tu o fizeste, sendo que ficará para um próximo artigo, "parte II", sobre o vento. Pois poderia ter também abordado a importância do vento no tempo dos Descobrimentos, entre outras coisas (o bom da Ciência é que há sempre coisas interessantes para falar).

Muito obrigado pelo elogio e pela crítica construtiva!

Em todo o caso, acho que o vento é mais bendito do que maldito :P!

Um abraço.

Itens: 1 - 4 de 4

Novo comentário