Re:Física/Vácuo

Data: 18-01-2013 | De: Pedro Augusto

Ora bem, a ciência não funciona com opiniões, e ainda bem. Deixamos isso para outras áreas da sociedade. A ciência constrói-se com teorias e observações que as comprovem (ou, pelo menos, que não as eliminem). Não é uma questão de gosto (por muito que isso irrite pseudo-cientistas e outros que tais em outras áreas da sociedade).
Posto isto, passemos ao que é a Teoria mais aceite hoje em dia (sim, incrivelmente esse irritante génio, Einstein, tem acertado em tudo; pelo menos ateé hoje - as suas teorias tem sobrevivido a todos os testes e não tem sido poucos! Admito que seja frustrante para tantos pseudo-génios que se acham melhores mas em nada o mostram...). Há a sensação, realmente, que a Teoria da Relatividade Geral possa não ser a última palavra (mas isso até Einstein dizia), contudo ainda não apareceu nada melhor até hoje... Até o próprio Einstein procurou alternativas mas sem grande sucesso, como todos os outros. Mas serás bem-vindo ao mundo da Física para nos ajudar a encontrar uma explicação ainda melhor!
Ainda bem que a ciência não tem discordâncias ao nível de duvidarmos se a luz é partícula ou radiação! Desde há 100 anos que sabemos que se comporta, realmente, das duas formas, conforme a situação. Alias, Einstein ganhou o Prémio Nobel devido aos seus trabalhos no efeito fotelétrico (luz como corpos - fotões). E que jeito dá! Se este não existisse os painéis solares não funcionavam... pois é, não bastam opiniões: é na pratica que se vê de que lado está a verdade. Quanto à luz como onda? Bem, a grande "prova" é a interferência (e.g.: https://en.wikipedia.org/wiki/Interference_(wave_propagation)). Mas hoje já não restam dúvidas a ninguém que a "luz visível" é apenas uma pequena parte do espetro eletromagnético (que também inclui ondas rádio; microondas - ainda bem, senão não podíamos aquecer a comida rapidamente; infravermelho, para os comandos lá em casa funcionarem todos, por exemplo). Temos ainda os energéticos raios gama e raios X, estes vistos mais como corpúsculos (fotões outra vez) mas com comportamentos como onda também, em certas situações. E os raios X são extremamente úteis, é claro, nos hospitais e nos aeroportos, por exemplo.
No melhor modelo que temos de física de partículas (Modelo Standard), o fotão também lá consta mas não tem massa. E é assim que estamos neste momento (é o melhor modelo). O fotão ter massa não explicaria imensas coisas que observamos. Teríamos, quase, de construir uma nova física. Não é só mais uma partícula: é a mais abundante do universo!
Quanto ao vácuo: as ondas propagam-se no vácuo, sim. A luz é um exemplo, mas há mais. O que não se pode propagar no vácuo são as ondas "mecânicas" (como as sonoras), pois essas precisam de um meio para se propagarem (como o nome indica). Mas, realmente, o que é o vácuo? Essa, sim, é uma questão na fronteira da Física. De tudo o que questionaste é a única área em que ainda temos dúvidas hoje em dia. Aparentemente não existe vácuo, no sentido de ter sempre de haver algo em qualquer região do espaço-tempo (nem que seja apenas energia). Aparentemente, o Universo está dominado (três-quartos) por uma "energia escura", que não fazemos a mínima ideia do que seja. Só assim explicamos a atual expansão acelerada do universo, de todas as suas galáxias e estruturas. E o tal homenzinho chato aparece em destaque outra vez: a hipótese mais aceite hoje em dia para a energia escura é que esta esteja relacionada com a constante cosmológica, introduzida pela primeira vez por Einstein na sua "fórmula do universo", de forma a que o mesmo fosse estático... Por ironia, o universo não é estático (está em expansão) mas, mais uma vez, esse génio irritante parece estar no caminho da razão...

Novo comentário