Re:Memória parte III

Data: 05-05-2014 | De: Marinho Lopes

A resposta mais honesta que posso dar é "eu também gostava".

Tanto quanto sei, o conceito de "inteligência" é difícil de definir e necessariamente ainda mais de estudar de forma objectiva. De forma genérica e intuitiva, creio que se pode afirmar que a relação entre a inteligência e a memória explícita está na habilidade que o indivíduo tem de "conectar" as diferentes memórias. Por exemplo, existem certas pessoas que sofrem do síndrome do sábio (savant), os quais conseguem literalmente decorar enciclopédias (bastando-lhes ler uma só vez). Porém, dificilmente se podem considerar pessoas inteligentes (existem excepções). Porquê? Porque apesar de decorarem uma quantidade extraordinária de informação, não têm a capacidade de a usar. Isto é, sabem responder a questões directas, mas são incapazes de perceber as ligações implícitas e dedutíveis. Com os alunos é semelhante: normalmente considera-se que os inteligentes são aqueles que sabem "pensar", ao invés de memorizar.

Em suma, creio que os mais inteligentes são os que conseguem criar um maior número de "pontes" neuronais entre as várias memórias explícitas que adquiriram.

No entanto, esta minha resposta é de certo redutora. Não sou um entendido na matéria e, além disso, estou certo que as neurociências não estão suficientemente avançadas para oferecerem uma resposta definitiva à sua questão.

Abraço,
Marinho

Novo comentário